Archive for the ‘Ciências’ Category

Novo tema de cabeçalho.

novembro 18, 2008

Quero agradecer a equipe de criação da JPG Designer por ter criado esse novo tema de cabeçalho, mantendo algumas caractéristicas da anterior, na realidade na casa do ferreiro o espeto estava de páu.

pens34

Parabéns Erika, Marcelo, Alexandre, ( equipe de criação da JPG Designer ) fiquei muito feliz em receber hoje por e-mail este material.

Anúncios

TRATAMENTOS FEITOS COM SANGUESSUGAS SÃO EFICAZES

novembro 9, 2008

imagescadtpfdo Os benefícios das terapias com os anelídeos sugadores de sangue foram comprovados cientificamente. Isto fez com que alguns tratamentos saíssem da gaveta – na qual ficaram por séculos – e também com que o medo de contaminações e o preconceito em relação ao bicho ficasse um pouco pra trás, mas não completamente. Aos poucos o parente próximo da minhoca recupera seu espaço.

(more…)

SE TODOS OS CARROS FOSSEM ELÉTRICOS?

novembro 7, 2008

elecar1                      ennucle1

carros elétricos vencem super-carros

010170060509-x1_gt_start

Que o ar das cidades ficaria melhor do que em feriado prolongado nós sabemos – os carros elétricos não soltam nada pelos escapamentos (coisa que eles nem têm). Que mesmo as avenidas ficariam bem mais silenciosas, também sabemos; já que carros assim não fazem barulho (fora  o “buzinaço” que não vai acabar nunca). E não deixa de ser óbvio que uma mudança dessas deixaria o mundo menos dependente de petróleo. Como as subidas do preço do barril são o maior motor da inflação no planeta, a própria economia ficaria menos turbulenta.

Mas há um ponto inusitado nessa hipótese: se todos os carros do mundo fossem elétricos, a quantidade de CO2 que lançamos na atmosfera continuaria praticamente a mesma. É que o grosso da produção mundial de CO2 não sai do escapamento dos carros, mas das usinas termoelétricas que queimam carvão, o combustível mais sujo que existe. E 40% da eletricidade mundial sai de usinas assim. Resultado: para fornecer a quantidade de energia para 1 bilhão de carros (a frota mundial hoje) deixando esse naco de 40% por conta do carvão, lançaríamos mais ou menos 3 bilhões de toneladas de CO2 por ano a mais na atmosfera. É exatamente o que os carros com motor convencional lançam hoje. Outro problema: reabastecer esses veículos na tomada demora. Eles levam de 4 a 8 horas para “encher o tanque” – aí se você mora em prédio ou estaciona na rua, vai fazer o quê? Por essas, os carros elétricos nunca ameaçaram os comuns, apesar de existirem desde o fim do século 19. Mas isso quer dizer que eles vão continuar sendo uma utopia? Não. Com algumas providências, daria para termos uma frota totalmente elétrica sem problemas.

Vejamos quais são elas e como um planeta cheio desses carros afetaria nossa vida.

Se movêssemos os carros usando só usinas que não emitem CO2 (as nucleares são as mais eficientes), pouparíamos a atmosfera de 3 bilhões de toneladas anuais de carbono, o que diminuiria o ritmo do aquecimento global. Para isto, a produção mundial de energia deveria saltar de 17,5 mil terawatts-hora por ano de hoje para 23 mil Twh. Essa diferença equivale a 13 Brasis em eletricidade ou 600 usinas nucleares iguais a Angra 3.

Devido à demora para o “abastecimento”, um jeito de driblar isso seria transformar os postos de gasolina em postos de troca de bateria: deixaria a sua lá recarregando e voltaria para casa com uma nova. O governo de Israel planeja equipar o país com um sistema desses até 2011.

Os melhores carros elétricos de hoje são mais velozes que Ferraris e Porsches – custam bem menos (US$ 100 mil, em média). É que os motores elétricos alcançam sua potência máxima mais rápido que um convencional. Com a produção em massa, o preço das baterias deve cair. E carros tão velozes quanto um F-1 tendem a ficar baratos.

Placa de Video ou Arma Nuclear

novembro 4, 2008

Você quer rodar um jogo com tudo no máximo, as fabricantes de placa de vídeo ficam na corrida maluca para entregar mais desempenho e a gente vai perdendo a noção de como as unidades de processamento gráfico, essas verdadeiras máquinas de guerra, estão ficando poderosas. Exagero? Então saca só:

O primeiro micro do mundo que conseguiu fazer 1 teraflops (um trilhão de operações matemáticas por segundo) foi um tal de ASCI Red – um supercomputador feito em 1996 que usava 10 mil processadores Pentium Pro clocados a 200 MHz. Hoje, uma Radeon HD 4870, placa das mais rápidas que já passou pelo INFOLAB, atinge esse mesmo número de flops com apenas um chip.

Vamos aos pequenos detalhes. Esse maquinão ocupava um andar inteiro de um laboratório no Novo México. Ele consumia absurdos 500 kW e, pasme, mais 500 kW só de cooler, ar-condicionado e tudo o mais para manter a sala geladinha e não pifar a bagaça. A placa de vídeo da AMD, assim como as outras dessa categoria, cabe num slotzinho PCI Express e gasta 110 watts, o que já é uma cavalice.

O mais assustador vem no final. Sabe para que servia a ASCI Red? Ela ajudava nos estudos de cientistas que estavam tentando simular o efeito de armas de detonação nuclear. Com os devidos upgrades, a máquina ficou durante três anos na lista dos 500 computadores mais violentos do mundo, segundo o respeitado ranking da Universidade de Mannheim, na Alemanha.

Ah, a irmã maior da 4870 (o modelo X2, que saiu quase junto com a caçula) é capaz de gerar até 2,4 teraflops com seus dois chips.

DOWNLOADS… ILEGAIS?

outubro 31, 2008

OU PODEM SER LUCRATIVOS?

                     

Em 2008, gravadoras admitem que querem saber o que você baixa. Empresas como BigChampagne entregam de bandeja dados sobre bilhões de downloads. 

 

Num mundo onde para cada música comprada nas lojas outras 20 são baixadas ilegalmente, as gravadoras resolveram usar esse dado a seu favor. Valendo-se de serviços que compilam estatísticas dobre pirataria musical on line, elas sabem onde, quando e quantas vezes o novo hit de um artista foi baixado, inclusive os gostos de quem baixou. Com isso na mão, fica mais fácil programar lucrativamente shows, turnês conjuntas e lançamentos regionais dessa ou daquela música.

 

Para Eric Garland, executivo do BigChampagne, que destrincha o caminho de 7,5 bilhões de MP3 por ano, não há conflito ético em se beneficiar dessas informações. “As montadoras também, analisam as cores e os modelos dos carros mais roubados. É a mesma coisa. Não há porque ter vergonha” disse Garland. Ele conta que seu negócio é lucrativo há 9 anos, mas que os clientes evitavam falar sobre isso para não complicar os processos que moviam contra donos de MP3 ilegais. “Essa fase acabou. Hoje as gravadoras vêem os fãs de música grátis como potenciais consumidores de outros produtos.”

 

O cantor e compositor Raymundo Fagner, entre outros, também se declarou partidário da pirataria musical, uma vez que auxilia na democratização da cultura, bem como, obrigou as gravadoras a reverem os preços abusivos dos CDs, por elas praticados.

 

Uma breve história do download gratuito de música: O Napster foi o primeiro “baixador” a bombar na rede, em 1999. Quando fechou, em 2001, seus fãs foram para o Audiogalaxy, cuja busca funcionava na web mesmo, sem software específico; o KaZaa, que depois virou um “pulgueiro” de spam e o Soulseek que até hoje preza seu status e repertório alternativos. A partir de 2004 impera o BitTorrent, no qual o download é solidário: cada usuário cede uma parte, atraída por um “imã” chamado torrent. O LimeWire e o eMule também usam torrents; o pessoal costuma variar entre programas, cujas redes costumam sair do ar sem prévio aviso. Hoje, a “modinha” é baixar arquivos de sites específicos, que se valem de servidores como o alemão RapidShare. Há torrents de filmes, games e séries, todos estão no portal sueco Pirate Bay que até tentou comprar um “micropaís”, onde suas atividades seriam legais.         

Puberdade precoce.

outubro 31, 2008

ATINGE MENINAS ANTES DOS 8 ANOS DE IDADE

      

A publicação desta matéria deu-se em função de uma outra: em visita ao blog A lógica do Sabino, despertou-me  o interesse do caso ali mostrado de um pastor evangélico de 71 anos que havia engravidado uma menina de 10 anos. Afora a crueldade do episódio, algumas pessoas devem ter se perguntado: como isso é possível?

 

Pois bem, a puberdade precoce, um distúrbio predominantemente feminino, ocorre quando a criança apresenta os primeiros sinais de maturação sexual antes dos 8 anos de idade. A doença atinge 1 em cada 10000 meninas e, para cada 5 meninas com o problema há 1 menino na mesma condição. No caso das meninas, o corpo ganha formas arredondadas, os quadris se alargam, os seios se avolumam e os pêlos pubianos começam a crescer.  Um ano depois, em média, ocorre a menarca.

 

Descrita como doença no início do século XX, a puberdade precoce ainda não foi completamente decifrada pela medicina, embora seja evidente que ela está associada a um desequilíbrio hormonal. Um passo importante para a compreensão do problema foi dado recentemente por pesquisadores da USP. Em parceria com a Universidade Harvard, nos EUA, eles constataram que a mutação em um determinado gene induz ao desenvolvimento sexual prematuro. É a primeira vez que se estabelece uma relação entre herança genética e puberdade precoce. Até então, a influência da genética não passava de uma suspeita, com base no histórico familiar das pacientes.

 

O próximo passo é investigar se há outros genes ligados à doença, o que no futuro pode resultar no desenvolvimento de remédios mais específicos. A descoberta foi publicada na revista científica The New England Journal of Medicine.

 

Tudo começa com o aumento na produção do hormônio GnRH. Sintetizado na região cerebral do hipotálamo, ele funciona como um maestro no processo da puberdade. Nas meninas, o GnRH, está envolvido na fabricação do hormônio estrógeno pelos ovários, que detona o início da puberdade. O problema surge quando os níveis de GnRH sobem antes da criança completar 8 anos. A medicina só conseguia explicar a alta hormonal fora de hora em 10% dos casos, aqueles em que o paciente é vítima de outras doenças, como a meningite. Agora, com o estudo dos pesquisadores brasileiros e americanos, acredita-se que uma modificação no gene GPR54 talvez seja uma das principais causas da maioria dos quadros de puberdade precoce.

 

Freqüentemente, os médicos são procurados por mães aflitas por conter a puberdade das filhas pequenas. Na maioria das vezes, porém, o distúrbio não requer nenhuma intervenção. No último século, a idade da primeira menstruação caiu consideravelmente. Atualmente, a menarca ocorre por volta dos 12 anos. Isso significa que os primeiros sinais da puberdade começam a surgir de dois a três anos antes, o que se enquadra no padrão de normalidade.